Monthly Archives: January 2019

A viola está chorando e a música sertaneja está de luto. Morreu na madrugada desta sexta-feira (18), o cantor José Marciano, grande nome do ritmo. Marciano tinha 67 anos e foi vítima de um infarto por volta da 1h quando dormia na casa onde morava, em São Caetano, São Paulo. A informação foi confirmada nas redes sociais do artista.

“É com imenso pesar que, em nota, confirmamos o falecimento do cantor Marciano, o Inimitável. Em breve, divulgaremos mais informações. Nesse momento, agradecemos o carinho de todos e pedimos orações à família”, diz a nota.

Marciano se tornou famoso pela parceria com João Mineiro, com quem dividiu os palcos desde os 16 anos. A dupla começou a se destacar no cenário sertanejo na década de 1970. Marciano ficou conhecido como “o inimitável”, pela sua interpretação de canções como “Paredes Azuis” e “Ainda Ontem Chorei De Saudade”. Após a morte de João Mineiro em 2012, Marciano fez dupla em 2016 com Milionário (que perdeu o parceiro José Rico em 2015) e gravou um DVD com o novo companheiro.

O pedido de Flávio Bolsonaro ocorreu após o MP-RJ solicitar ao Coaf informações sobre movimentações dele. Foto: AFP / Mauro PIMENTEL

O pedido de Flávio Bolsonaro ocorreu após o MP-RJ solicitar ao Coaf informações sobre movimentações dele. Foto: AFP / Mauro PIMENTEL

Numa decisão que surpreendeu até os colegas da Corte, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu o procedimento investigatório criminal aberto pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) contra Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). O magistrado atendeu a um pedido feito pelo próprio filho do presidente Jair Bolsonaro, que alega ser alvo de investigação por parte do MP. As diligências, em nível estadual, foram abertas para apurar transações realizadas por Queiroz e consideradas como suspeitas.
Por meio de uma decisão cautelar, Fux determinou que a investigação fique parada até que o ministro Marco Aurélio Mello, sorteado como relator do caso, retorne do recesso, o que ocorrerá em 1º de fevereiro. Por conta disso, o MP-RJ fica impedido de continuar ouvindo testemunhas e reunindo provas. “(…) com o fim de proteger a efetividade do processo, defiro a suspensão do trâmite do PIC 2018.00452470, até que o Relator da presente Reclamação se pronuncie quanto ao pedido de avocação do procedimento e de declaração de ilegalidade das provas que o instruíram, alegada pelo Reclamante”, escreveu Fux.
Em 3 de maio do ano passado, o Supremo decidiu que a prerrogativa de foro vale apenas para atos ligados ao mandato parlamentar. No entanto, o plenário entendeu que os ministros podem avaliar cada caso, para determinar o que fica na Corte e o que vai para instâncias inferiores. Ministros do STF, ouvidos pela reportagem, mas que preferiram não se identificar, reprovaram a conduta de Fux e se mostraram surpresos com a decisão. “É uma medida que contraria o próprio entendimento do colegiado. O senador Flávio Bolsonaro não se enquadra nas regras do foro nesse caso. A suspensão deve ser revertida”, avaliou um dos magistrados.

Continue reading